segunda-feira, 21 de julho de 2008

JANELAS




Espreitas e vigias
Espectro de verdade plena
Olhos vivos
Vivos de amor
Janela aberta
Pintada de vermelho
salpicada de brilho
Lua cheia de marinho
batiza o anoitecer.
Repouso no amor
sem fronteiras
Recosto minha face
na noite
Suspiro a entrega
do cálice sutil.



6 comentários:

Patrizia disse...

bellissimo blog, complimenti!

bonds disse...

very awsome.


bonds

Patrizia disse...

Grazie della visita e delle belle parole che mi hai lasciato, io purtroppo non capisco molto la tua lingua, ma leggo tanta poesia anche nelle tue parole. Verrò a trovarti spesso.Ciao!

Maria Alice Estrella disse...

LINDOOOO!

R2K disse...

: )

Anne M. Moor disse...

Graça,
Janelas... Ai janelas...
Beijos