quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

SEGREDO


Tenho ainda colada nas mãos a tua pele.
Minha boca saboreia o beijo quente e calado
Colado nos céus onde vislumbrastes estrelas.
Respiro o suave sabor da tua entrega
Corpos unidos no compasso da sinfonia
Composta de amor e desejo.
Doce amor que nos envolve
Longe de todas as torturas.
Sórdidas prisões sem alma
Calabouços úmidos sem luz
Irrompe-se em luz e liberdade.
Arcanos do segredo e do tempo
Anunciam nossa ventura.

12 comentários:

Walmir Lima disse...

Teu incrível poema faz sentir na pele, como se fosse agora, o que só o amor e o desejo o fazem... Como se fosse agora... como se fosse há pouco...
Lindo!

Anne M. Moor disse...

E que a alma saboreie o prazer da liberdade e a paz merecida!
:-)

ETERNA GEMINIANA disse...

A liberdade de amar sem limites, ter um segredo não secreto pois não se consegue esconder quando a alma vive intensamente oque sente e está livre e pronta para voar e sonhar.

Amei!

Jorge Lemos disse...

Que os deuses não sejam tão brutais:
que lhe conceda respirar sempre o suave sabor da entrega.
Viva....

Maria disse...

Walmir: Sempre é agora. Agora e sempre
Anne: Estamos neste vôo.
Minha filha Celina: O segredo da Vovó.
Jorge: Que os Deuses te ouçam
Beijo a todos.

Angela disse...

Tempo que volta, nesse tempo que fica aqui dentro.
Puro e maravilhoso!

Walmir Lima disse...

Maria,
Bateu-me agora e não resisti em parar para dizer que sempre senti em teus versos um canto de origem uterina... gemido provindo das entranhas.
Ao ler teus textos em voz alta (e Jorge o fez agora há pouco) percebo neles a sonoridade do magnífico Paulo Bonfim.
Parabéns, amiga.

Walmir Lima disse...

Outra coisa que queria te dizer em primeira mão (autorizado pelo próprio, claro) é que Jorge pretende incluir teus versos em seu próximo disco de coletâneas, onde os declamará.
Um abraço,
Walmir

vittorio disse...

Dei um voo mais longo, li e sonhei.
Belissimo poema, sublime e profundo toca no fundo da alma.


Inspirador

Maria disse...

Angela: Sim, tempo de volta, de reencontro, de me olhar e me rever. Beijos

Maria disse...

Walmir: Fiquei feliz de ler o que escrevestes sobre minha escrita e encarinhada pelo momento que desfrutastes com o Jorge pedacinhos da minha alma.
Sinto-me presenteada pelos Deuses saber que Jorge irá me incluir em sua coletânea. Melhor é saber qe estive ai. Beijos

Maria disse...

Vittorio: Prazer em te receber por aqui em meio as minhas letras. É minha alma que se inscreve entre meus dedos e me faz escrever e alma conhece a linguagem de alma, neste instante unico e pleno.
Bjs