sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

VOLVER


Rompo o silêncio e o segredo

Volto a escrita


Sinto falta da minha poesia.

Ela anda atada, junta, misturada

Com as particulas da alma.

Seus movimentos bailam na peça ao lado

e diluem-se em imagens de encantamento.

Danço meu cântico e busco o eco,

Somem os sons é denso o vazio.

Viajo por mim em rastros de dor e deslumbramento.


Descanço impressa nas tuas pálpebras.

Estendida no leito, diluida em curvas.

5 comentários:

Anne M. Moor disse...

E voltaste with a bang!!! Que lindo poema para trazer-te de volta a nós...

Saudades dos teus escritos e de ti!

Beijão

ETERNA GEMINIANA disse...

Logo vi que teria algo de novo por aqui! Que maravilha romper o silêncio,libertar as palavras da alma! Lindo, também estava sentindo falta da tua poesia!

Ernesto Dias Jr. disse...

Continuas poeta, minha amiga...

Maria disse...

Anne, Celina e Ernesto.
Minha poesia vibra com o meu coração que se nega a calar.
Aqui sempre aqueço a alma.
BJS

Jorge Lemos disse...

Maria

Que alegria ter você por inteiro.
Poema que a liberta. Sorte nossa.
Jorge